Devil May Cry 5

released on Mar 08, 2019

Devil May Cry 5 is a brand-new entry in the legendary over-the-top action series Devil May Cry. The game features three playable characters, each with a radically different stylish combat play style as they take on the city overrun with demons. Developed with Capcom’s in-house proprietary RE engine, the series continues to achieve new heights in fidelity with graphics that utilize photorealistic character designs and stunning lighting and environmental effects.


Reviews View More

Combat was cool
Rlly liked the music tho

I AM THE STORM THAT IS APROOOOOAACHING
PROVOOOOOOKING
BLACK CLOUDS IN ISOLATIOOOOOON
I AM RECLAIMER OF MY NAAAAAAAAAAAME
BORN IN FLAMES
I HAVE BEEN BLESSED
MY FAMILY CREST IS A DEMON OF DEAAAAAATH

This review contains spoilers

While 3 remains my personal favorite as far as story, aesthetic, music, and overall personality, this one is the most fun to play by FAR and probably the one I'll sink the most hours into.
Varying high-speed gameplay with intricate mechanics and a system that rewards you for knowing just how intricate they can be for each character! Bangin' soundtracks to go with it that only get more bangin' the better style you have! Fun weapon selection! No annoying puzzles! No half-assed attempts at platforming!

Nero is my favorite character now and it only took him saying "I'm baggin' this bitch!" for that to happen even after I walked away from 4 thinking that he was fine but not especially noteworthy. His banter with Nico is excellent and the two of them together are just. <3 I love them.
My only real complaints have to do with the pacing of the story and its reliance on things like flashbacks to communicate its plot but because the story is so centered on the relationship between Dante, Vergil (+V by proxy), and Nero, I never felt lost or like it was a real "issue" per se. The story gets back to the heart of what I liked so much about DMC3 and you're lying if you say you weren't a little emotionally impacted when you watched Nero activate his Devil Trigger purely out of the desire to end the cycle Dante and Vergil have fought themselves into.
DMC6 starring Lady and Trish please
Good game, I like it a lot, I am the storm that is approaching

This review contains spoilers

Eu tinha um hype imensurável para esse jogo, devido aos memes, o character design e alguns vídeos de combo que eu via no youtube. Sempre fiquei numa puta vontade de jogar isso mas não conseguia por falta de uma plataforma que rodasse. Bem, finalmente consegui tocar nisso e... Minhas expectativas não só foram satisfeitas como o jogo foi além delas, tendo jogado os jogos anteriores (exceto o 2) esse mês, eu tinha fresco em minhas memórias o que senti com eles, e tinha em mente a superioridade do 3.. Mas o jogo foi além! A gameplay, os cenários, a atmosfera, os personagens e acima de tudo, o respeito para com seus sucessores, todos esses fatores se culminaram para criar experiência perfeita do que é Devil May Cry. Sério, o feeling de jogar está em outro nível, a forma como os combos se conectam, o impacto que tem sobre os inimigos, as features novas como os devil breakers e a adição de um novo estilo completamente diferente de combate, os summons do V apesar de serem confusos no começo, depois que você pega o jeito fica bem interessante e é uma variedade bem vinda, já que é um estilo mais focado em combate a longa distância e não tão intenso, meio que uma pausa ao combate insano de Nero e Dante. Por falar em Nero, nesse jogo ele se redime bastante, já que no 4 ele era um personagem meio foda-se que parecia só uma mescla entre o deboche do Dante e a seriedade do Vergil que no final deixou o personagem sem nenhuma essência própria além de seu Buster. Mas no 5 deram uma buffada na personalidade dele e no estilo, agora realmente parecendo um personagem com personalidade própria, com um arco decente de desenvolvimento e contribuindo para o estopim desse jogo e talvez da série inteira, o conflito entre Dante e Vergil e sua resolução. Essa rivalidade já está presente desde o primeiro jogo e foi mais trabalhada no 3, e o 5 traz um "final" digno a ela, a aceitação da existência de ambos e o amadurecimento de ambos como personagens e como irmãos, é bem legal de se ver a interação entre os dois na cena pós crédito. Apesar de escrever todo esse texto, não há como eu transmitir a experiência que tive. Devils never cry.