Existem ótimos jogos que consumimos e percebemos sua qualidade, porém parece que não ultrapassam a barreira do emocional por melhor que sejam. Nós o jogamos e temos uma visão "mecânica", sem apego sentimental pelo mesmo. Porém Bioshock não é de forma alguma um jogo bom que se leva para o lado racional; não demora muito para você se imergir completamente na atmosfera profunda que o mesmo oferece e se apaixonar, criando um laço emocional com ele, pois esse game atinge o peito devido a tamanha qualidade.
Sobre a Gameplay, inicialmente eu achei truncada e lenta, mas não demorou muito para eu perceber que era frescura e que o game funciona muito bem nesse estilo. Os cenários, direção de arte, trilha sonora anos 60 e inimigos (mesmo que não muito variados) são master pieces e o Big Daddy certamente é o garoto propaganda desse game. Porém, como já citados, os pontos mais interessantes do mesmo são a narrativa contada de maneira orgânica, que não invade a sua gameplay interrompendo o fluxo do game e o principal: a atmosfera. Acredito eu que esse seja um dos games mais profundamente atmosféricos que eu já joguei. Rapture é um show de direção de arte bem feita sob uma atmosfera sombria porém colorida pelo neon da cidade em contraste com a pouca iluminação de becos, salões, praças etc... Simplesmente fenomenal. A reta final não é de todo ruim porém não faz jus a qualidade geral do game, o último boss também deixa um pouco a desejar somado a uma cutscene final que não é tão cativante. Porém de maneira alguma esses pontos interferem bruscamente na qualidade final do game e o mesmo deve ser considerado uma masterpiece. Ótimo jogo e o considero obrigatório a todos que consomem vídeo game.

Reviewed on Feb 09, 2024


1 Comment


15 days ago

review muito braba, vlad!1!11!!!