1952 Reviews liked by CDX


Esse calorzinho que estou sentindo no peito... é amor?


Um puzzle simplezão e curto que dá para fazer no automático. Ótimo para gastar uma horinha no busão.


Bloody phenomenal. Sometimes it was a little confusing but figuring out your case is so much fun. Can't wait to play the other games.


Um roguelike muito divertido,q mistura varias mecanicas de jogos diferentes e q consegue fazer isso bem.
Soundtrack muito boa e a historia é ate interessante.
Recomendo.


Darius tem uma fama de ser uma série que preza mais os gimmicks estéticos do que o gameplay, mas esse é o primeiro game da franquia que diria que faz jus à fama. O audiovisual mesmerizante carrega o jogo todo sozinho – sendo quase o suficiente para você não se estressar com a dificuldade imperdoável e os chefes que não morrem nunca. Cheguei ao fim bem satisfeito, mas não motivado o suficiente para tentar as outras rotas.


HOPE

2020

My favorite Cecile Richard game, which is saying something. The way the music and the controles coalesce to transmit such a powerful emotion (one that I intimately relate for personal reasons) is so strong it's almost ridiculous.


HOPE

2020

Ter ataques de pânico por ter deixado a mudança para última hora é algo perfeitamente neurotípico, certo? ... Certo???


Não sei como isso carrega o nome "Resident Evil", não sei o que pensaram quando estavam concebendo essa coisa ao mundo.

Os quick timings são irritantes e massivos. A gameplay é tão repetitiva que você sequer vê o progresso acontecendo. Com esse jogo, a franquia quis abraçar a ação de vez, mas nem isso eles chegaram perto de conseguir, as explosões e toda a ação que acontecem são mais exagerados e sem sentido que Velozes e Furiosos e Tomb Raider. Chega a ser nojento de tão forçado.

O Mikami deve ter feito algo muito ruim pro diretor de RE6, porque a mancha que ele botou na franquia deve ser resultado de muito ódio. Acho que nem um inimigo pessoal do Mikami faria algo tão horrível com a franquia desse jeito.

Se tu curte Resident Evil, pula esse que você não vai perder nada.


[Review in English and pt-br]

One of the most important games I have played in my life, which shows IN 1999 how this medium can be used to narrate a surreal and absurdly authorial storyline. It is amazing how many things are said in this game without the need for words, all you have to do is interpret. In The Silver Case, we get to know several characters in a greater depth than their words alone can do, because their behavior, the artistic trace of the portraits of other characters they see, the soundtrack that can even be cacophonous, all this is an extremely conscious choice for this purpose.
This story is dense, it's political and also intimate, but it becomes a little difficult to recommend to the "casual" audience because unfortunately the gameplay was not updated in the remaster/remake, continuing to be very bureaucratic in the way of receiving commands and having its plot demanding certain actions from the player to advance in the script, so it ends up being something that only players with experience with adventures games and/or games with a larger than usual amount of text will really experience. But for those who do: Kill the Past and move on, see the light ahead and kill the darkness you project onto the path.

Um dos jogos mais importantes que joguei na vida, que mostra EM 1999 como essa mídia pode ser usada para narrar um enredo surrealista e absurdamente autoral. É impressionante a quantidade de coisas ditas nesse jogo sem a necessidade de palavras, basta interpretar. Em The Silver Case, conhecemos diversos personagens em uma profundidade maior que suas falas sozinhas podem fazer, pois o seu comportamento, o traço artístico dos retratos de outros personagem que eles enxergam, a trilha sonora que pode ser até mesmo cacofonia, tudo isso é uma escolha extremamente consciente para esse fim.
Essa história é densa, é política e também íntima, mas se torna um pouco difícil de se recomendar para o público "casual" porque infelizmente a gameplay não foi atualizada no remaster/remake, continuando a ser bastante burocrática na forma de receber comandos e tendo seu enredo exigente de certas ações do jogador para avançar no script, então acaba sendo algo que apenas jogadores com experiência com jogos adventures e/ou jogos com uma quantidade maior que o comum de texto vão experimentar pra valer. Mas, para aqueles que o fizerem: Mate o Passado e siga em frente, enxergue a luz adiante e mate a escuridão que você projeta no caminho trilhado.